Fase representa Brasil em estudo socioeducativo realizado em conjunto com Angola e Portugal

A Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase) está participando do projeto de estudo “Cidadania e Violência”, em parceria com a Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), oferecendo campo de trabalho para pesquisa. O objetivo da proposta é traçar o perfil dos jovens infratores do Brasil e, na sequência, realizar um cruzamento de informações com Angola e Portugal que também fazem parte do programa.

A Fase é a única instituição socioeducativa brasileira a participar desta pesquisa implantada pela Ulbra Canoas e Torres. O projeto está sendo realizado em conjunto com a universidade de Lisboa, a Universidade Pública de Angola e uma universidade privada de Lisboa, a Universidade Atlântica.

Na Fundação já foram realizadas 30 entrevistas com jovens dos Centros de Atendimento Socioeducativos (Cases) Feminino, Poa I e II, por meio de um questionário idealizado pelo coordenador de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação na Ulbra Porto Alegre, Jorge Trindade. Este mesmo método avaliativo, criado por Trindade, foi adotado também em Portugal como método de pesquisa.

Como material complementar aos dados apurados nas entrevistas, a equipe do projeto promoveu, na semana da Páscoa, um concurso artístico entre os jovens entrevistados. Desenhos e frases criados pelos adolescentes participantes passaram por uma pré-seleção, feita em Porto alegre, e em seguida receberam os votos dos estudantes e professores da Ulbra Torres e Canoas. O objetivo desta atividade artística foi “retratar o que a teoria diz sobre o jovem infrator, sob a perspectiva artística do próprio adolescente que cumpre medida socioeducativa”, disse Trindade.

O segundo passo deste projeto conta com os estudos comparativos feitos pelas quatro universidades envolvidas para realizar a análise dos semelhantes e diferentes pontos de perfil do jovem infrator. Após esse levantamento, os próximos dados analisados serão as leis, decretos e estatutos que regem cada um dos países. domain abuse . Posteriormente ao balanço e análise dos dados, o grupo de pesquisa tem como intenção propor sugestões de aprimoramento de políticas públicas dentro de um prazo de três anos.

Texto e foto: Ascom/FASE com colaboração de Jenifher Mello
Foto: Marcelo Vaz

Nenhum comentário

Deixe um recado

Mensagem